Fiscal da Visa ressalta importância do físico na Vigilância Sanitária

O caráter multiprofissional da vigilância sanitária e o papel do físico nas ações de orientação e inspeção dos serviços, que podem impactar na saúde da população, serão abordados pelo fiscal da Vigilância Sanitária municipal (Visa Manaus), Jardson Braz, durante a 24ª Semana de Física, promovida pela Universidade Federal do Amazonas (Ufam).

Jardson, que é físico, filósofo e professor, participa do evento nesta quarta-feira 21/10, abordando as linhas de atuação do físico na vigilância sanitária. O evento, que tem como foco “Inteligência Artificial: A Nova Fronteira da Ciência Brasileira”, ocorre em sistema on-line e reúne professores, pesquisadores, acadêmicos e outros interessados no tema desde a última segunda-feira, 19.

De acordo com ele, a sua participação tem o objetivo de mostrar a importância do profissional no campo da saúde e apontar a vigilância sanitária como mais uma alternativa de atuação. “Nessa linha, o físico é responsável, principalmente, por verificar as condições adequadas de funcionamento de serviços médicos com emissão de radiação ionizante, garantindo segurança à população, o que, sem dúvida, é de alta relevância para a saúde pública”, assegura.

O físico fiscal esclarece que entre esses serviços estão o de radiodiagnóstico médico (raios X, mamografia e tomografia), radiodiagnóstico intervencionista (hemodinâmica), a medicina nuclear e a radioterapia.

Na atuação de rotina, Jardson é quem verifica, nos serviços com esse perfil, o cumprimento de protocolos de vigilância, que visam à proteção radiológica, o que significa diminuir a exposição das pessoas à radiação ionizante. O fiscal explica que, para garantir essa proteção, os serviços oferecidos por clínicas, hospitais e laboratórios, por exemplo, devem monitorar a área onde há equipamentos ou substâncias emissoras de radiação e devem realizar testes para verificar se os equipamentos estão de acordo com os requisitos mínimos de funcionamento. Além disso, segundo o fiscal, os serviços devem monitorar o trabalhador exposto, por meio de dosímetro individual.

“Ao inspecionar o estabelecimento esses são os principais requisitos verificados”, destaca, acrescentando que também são avaliadas questões sanitárias gerais, como o suporte imediato a vida em serviços que fazem exames com contraste e as condições sanitárias dos estabelecimentos.

Ele ressalta que aparelhos que emitem radiação ionizante são essenciais no diagnóstico, no tratamento e no acompanhamento das condições de saúde da população e que seu uso tanto na rede pública quanto na rede particular é cada vez mais amplo. “No entanto, para que tragam mais benefícios do que prejuízos ao paciente, precisam estar perfeitamente ajustados, o que evita, por exemplo que as doses de radiação emitida sejam superiores ao patamar de segurança”, observa.

Além das inspeções, realizadas para o licenciamento ou monitoramento sanitário e, ainda, para apuração de denúncias sobre suspeita de irregularidades, o trabalho do físico junto aos serviços de radiologia envolve orientação técnica aos estabelecimentos, divulgação de medidas obrigatórias ou alternativas para aprimorar os sistemas de controle da qualidade.

Apesar de atuar na Visa como especialista do campo da física, Jardson Braz também participa de outras ações de fiscalização sanitária. “O físico realiza tarefas que são específicas da sua área, mas como fiscal de saúde pode atuar também em fiscalizações gerais, realizar pesquisas, promover estudos de cenário com proposição de estratégias de melhoria, contribuir com o planejamento e aperfeiçoamento da gestão de vigilância na instância em que atua, entre outras alternativas”, destaca.

Na Visa Manaus desde 2012, quando ingressou por meio de concurso público, Jardson é licenciado em Física pela Ufam, professor de Física na rede estadual de educação e atualmente cursa mestrado em Ensino de Ciências e Matemática, também pela Ufam.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *