Elan Alencar diz que Amazonas Energia usa de ‘má fé’ com consumidores<

Vereador criticou postura da empresa que vêm sendo alvo de críticas em função da instalação de sistema que tem gerado aumento na conta dos manauaras

O vereador Elan Alencar (Pros) realizou uma live na noite desta quinta-feira, 20/1, para tratar sobre a repercussão do novo Sistema de Monitoramento Centralizado (SMC), que vem sendo instalado pela concessionária Amazonas Energia e que tem gerado milhares de denúncias e reclamações dos usuários do serviço.

Acompanhado pelo advogado Edilson Alencar Neto, o vereador de Manaus disse que a empresa está usando de ‘má fé’ com os consumidores, uma vez que os equipamentos têm sido instalados sem a autorização dos clientes e, de acordo com denúncias, vêm gerando aumentos abusivos nas contas dos manauaras.

“A empresa está usando de má fé e no meu entendimento existe um equívoco da concessionária. Essa medida chegou como uma solução para reduzir os custos da empresa, porém o resultado foi de aumento real e abusivo nas contas de luz. Foram chegando as primeiras contas de energia e a população sentiu um aumento muito grande, o dobro em alguns casos”, disse Elan.

Elan aproveitou para esclarecer as responsabilidades sobre ações para que a empresa possa ser notificada, uma atribuição que cabe aos órgãos de representatividade civil como a Defensoria Pública.

Segundo a concessionária, este modelo de medição centralizada apresenta vários benefícios aos clientes, além do menor tempo de atendimento por falta de energia, o SMC oferece melhoria no processo de faturamento e relacionamento, onde o cliente pode verificar seu consumo e todas as informações da sua medição em um painel digital exclusivo instalado em sua casa, assim como o melhor gerenciamento de sua carga, com provável redução de despesas, porém não é o que foi visto na prática.

O Advogado Edilson Alencar Neto falou sobre os problemas recorrentes que as pessoas enfrentam com a concessionária Amazonas Energia, que apesar de ter aberto mais pontos de atendimento, continua prestando serviços deficientes. “Apesar de ter aberto mais pontos de atendimento, não houve melhoria no serviço prestado. Não se consegue negociar dívidas ou resolver problemas buscando os postos de atendimento”, explicou o advogado.

Ao final da live, o vereador e advogado ainda deram dicas sobre o programa de Tarifa Social para famílias de baixa renda e como agir judicialmente contra a empresa em caso de o consumidor se sentir lesado pelos serviços prestados ou falta deles.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *