Governo negocia 7 milhões de doses da CoronaVac para crianças

Butantan garante a capacidade de produzir um milhão de doses da vacina por dia caso haja demanda do Ministério da Saúde

O Ministério da Saúde negocia a compra de mais doses da CoronaVac para atender ao público infantil brasileiro. A informação foi confirmada ao R7 pelo Instituto Butantan, que foi procurado pela pasta para verificar o quantitativo de doses disponíveis para um novo contrato. O pleito é por 7 milhões de novas doses, neste primeiro momento. 

Apenas um ofício requisitando as informações chegou ao Butantan e ainda não há novo acordo firmado. O instituto garante a capacidade de produzir um milhão de doses por dia caso haja demanda, além das 15 milhões de unidades já disponíveis. 

Em São Paulo, a vacinação infantil já começou e o Butantan destinou 4 milhões de doses da CoronaVac para o governo paulista nesta quinta (20). “Se houver novos contratos, estamos absolutamente preparados para atender, podemos entregar 10 milhões de doses em um prazo de uma semana a dez dias. Nós já fornecemos aos estados, como São Paulo, e estamos disponíveis para atendimento”, afirmou o diretor do Butantan, Dimas Covas.

Nesta sexta-feira (21), o secretário-executivo do Ministério da Saúde, Rodrigo Cruz, adiantou que a pasta irá se manifestar ainda hoje sobre a CoronaVac pediátrica. “Vamos começar a oficiar os estados, ver qual que é o estoque de cada um, para que possamos fazer uma distribuição mais justa e dar oportunidade a todos de avançar na imunização dessa população”, informou a jornalistas, citando como exemplo o caso do Distrito Federal que possui mais de 500 mil doses em estoque. 

Diferente de SP, a Secretaria de Saúde do Distrito Federal (SES-DF) informou que aguarda orientações do Ministério da Saúde para iniciar a aplicação da CoronaVac em crianças e adolescentes entre 6 e 17 anos. 

“Vamos avaliar todas as recomendações da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para que a gente possa orientar de forma correta os estados e municípios. Depois de incorporada no PNI (Programa Nacional de Imunização), os estados estão liberados para aplicar”, disse Cruz. O anúncio da incorporação deve ser feito na tarde desta sexta-feira (21). 

Apesar da fala do secretário, em tese os entes federados podem fazer uso da CoronaVac assim que a Anvisa concede a autorização, motivo pelo qual SP já iniciou a campanha e outros estados e municípios, como Salvador, já anunciaram o início da imunização com a vacina do Butantan. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *