Jucea suspende atendimento presencial por 15 dias devido ao coronavírus

Com o intuito de combater a disseminação do novo coronavírus, a Junta Comercial do Estado do Amazonas (Jucea), em conformidade com o Decreto Governamental nº 42.061, de 16 de março de 2020, anuncia nesta terça-feira (17/03) a suspensão temporária do atendimento ao público em sua sede, pelos próximos 15 dias. A medida entra em vigor nesta quarta-feira (18/03).

Segundo o presidente da autarquia, Enio Ferrarini, a medida preventiva é para a segurança tanto dos servidores quanto dos usuários.

“Em cumprimento às medidas anunciadas pelo Governo do Amazonas diante do novo coronavírus e da vulnerabilidade direta do seu quadro de colaboradores, uma vez que 57% dos nossos servidores serão afastados por estarem no grupo de risco do coronavírus, a suspensão do nosso atendimento presencial na sede se fez necessária para a segurança dos nossos colaboradores e do nosso usuário”, destacou.

O presidente da Junta Comercial do Amazonas ressalta que todos os serviços oferecidos pelo órgão estadual são 100% on-line, por meio do Portal de Serviços, no site da autarquia www.jucea.am.gov.br, o que não acarretará prejuízos aos seus usuários, pois os mesmos continuarão a funcionar normalmente. E que o atendimento ao público será mantido pelo chat, e-mail e telefone.

Mais informações: Assessoria de Comunicação da Junta Comercial do Estado do Amazonas (Jucea): Áquila Sicsú (98135-6000).editado Sul do Amazonas recebe comitiva de secretários estaduais

Representantes de órgãos e entidades estaduais iniciaram visitas a municípios nesta segunda (16/03)

Uma comitiva do Governo do Amazonas, liderada pela Secretaria Estadual de Produção Rural (Sepror), deu início ontem (16/03) ao “Projeto Sub-Região Sul do Amazonas”, visitando as cidades de Humaitá, Apuí e Manicoré, onde estão sendo feitas reuniões, visitas e encontros com lideranças rurais e empresários que desenvolvem ações de desenvolvimento para o setor primário na região.

O projeto tem o objetivo de interiorizar o desenvolvimento econômico para o Sul do Amazonas, reduzindo e substituindo queimadas e ações de desmatamento por atividades produtivas sustentáveis. “Acreditamos que é possível, sim, conciliar desenvolvimento e produção com a questão florestal, e por isso viemos aqui conhecer as necessiades da região para voltar e apresentar um projeto agroflorestal, que pode ser uma referência para o mundo”, disse o secretário titular da Sepror, Petrucio Magalhães Júnior.

Participam da comitiva, além de Petrucio Magalhães Júnior, a diretora-presidente do Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Amazonas (Idam), Eda Maria Oliva; o diretor-presidente da Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Amazonas (Adaf), Alexandre Araújo; o secretário de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação (Sedecti), Jório de Albuquerque Veiga Filho; o secretário das Cidades e Territórios, Ricardo Luiz Monteiro Francisco; e o assessor técnico da Sepror, Luiz Otávio Rodrigues da Silva.

No primeiro dia foi realizada visita a uma fazenda de plantio de arroz, em Humaitá (distante 590 quilômetros de Manaus), na qual o proprietário, Edson Martins, produz 235 hectares do tipo Cambará Cultivar e 40 hectares do tipo Ana 9005. O Cambará rende 55 sacas por hectare (ha), e o Ana 9005 rende de 70 a 100 sacas por ha, sendo colhidos entre fevereiro e abril.

“Nossa produção de 2020 está superando todas as nossas expectativas. Estamos tendo uma alta produção, é só corrigir o solo, tratar a lavoura de forma correta, que a produção corresponde bem. Estou muito animado”, comemorou Edson.

Roteiro – Na parte da tarde, em Santo Antônio do Matupi, distrito de Manicoré (distante 332 quilômetros de Manaus), a comitiva visitou a área do Frigorífico Matupi, que tem inauguração prevista para final de 2021, com expectativa de abate e desoça de 300 bois/dia e investimentos da ordem de R$ 15 milhões.

Também foi realizada visita à indústria de laticínios Matupi, que produz em média 12 mil litros de leite por dia e 1.200 quilos de queijo. Ao todo, 150 toneladas de produtos, entre queijos, requeijão, manteiga e doce de leite são produzidos por mês. Vale destacar que um programa de melhoramento genético está transformando a vida dos produtores de gado leiteiro da região.

Em outra parada no roteiro da comitiva, o frigorífico Frigonosso, com previsão de inauguração para 13 de abril, a meta é abater 310 animais por dia, com a previsão de geração de emprego para 80 pessoas da região, de forma direta.

Com o Frigonosso e o Amazonas, que inaugurou no início deste ano, já são dois frigoríficos de abate bovino iniciando suas atividades na região neste ano, estimulando o pecuarista a produzir de forma sustentável, pois tem onde realizar o abate, como aponta o diretor-presidente da Adaf, Alexandre Araújo. “Possibilitando a garantia de uma carne abatida com qualidade e sanidade animal”, lembrou ele.

Cessão de uso – O Idam realizou a assinatura de um termo de cessão de uso de uma colheitadeira de grãos para a Associação dos Agricultores Familiares da Comunidade Cristolândia (ASSF-Cocri), representado pelo presidente Joadilson Coimbra, que agradeceu pelo equipamento que vai ajudar a aumentar a produção da entidade.Reunião com pecuaristas – Reunida com pecuaristas de Matupi, a comitiva de secretários e diretores-presidentes de entidades do Governo do Amazonas apresentou o Programa Agloflorestal Sustentável para Desenvolvimento Sustentável da Sub-Região Sul do Amazonas.

Na ocasião, os pecuaristas tiveram oportunidade de mostrar suas necessidades e pedir apoio para desenvolver o trabalho na região.

Atentos, os dirigentes de órgãos e entidades estaduais deram esclarecimentos com relação às principais dúvidas e se mostraram dispostos a atender algumas demandas para atender o terceiro maior rebanho bovino do Amazonas, com aproximadamente 130 mil cabeças de gado, segundo dados da Adaf.

“A produção estimada atual do sul do Amazonas é de 32 mil toneladas de grãos, mas a meta é de crescer cinco vezes em cinco anos, atingindo 150 mil toneladas em 2025. E sem a necessidade de desmatar, recuperando áreas degradadas”, destacou o titular da Sepror, Petrucio Magalhães Júnior.

Nesta terça-feira (17/03) segundo dia de viagem, a comitiva seguirá para Apuí (distante 453 quilômetros de Manaus), onde os representantes do Governo do Estado se reunirão com lideranças locais, conhecerão mais uma indústria de lacticínio e visitarão as obras de ampliação da rede de abastecimento de água do município.

FOTOS: Mayana Tomaz/Sepror

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *