Karol Conká admite que inventou interesse de Carla Diaz por Arcrebiano no ‘BBB21’: ‘Espalhei isso’

O primeiro episódio da série documental de Karol Conká, “A Vida Depois do Tombo”, está dando o que falar nas redes sociais. Lançado nesta quinta-feira (29), o projeto aborda o antes e depois da participação da rapper pelo “Big Brother Brasil 21”, reality em que foi eliminada com 99,17% dos votos do público, o recorde de rejeição do jogo.

“Eu entrei com o propósito de ganhar dinheiro, expor mais o meu trabalho e acabei expondo uma parte de mim que não aprovo, não me orgulho e também fiquei surpresa. É, meu auto-sabotei”, comenta a artista.

‘Eu acabei inventando isso na minha cabeça’

Para dar vida ao documentário, alguns ex-BBBs foram convidados a participarem. Dentre os brothers, Arcrebiano e Carla Diaz foram um dos que se recusaram a ter um reencontro com a famosa. Em trecho da série, ela admite ter inventado interesse da ex-chiquititas por seu affair.

“Karol, você admite que inventou que Carla estava afim do Bil?”, perguntou o telão. “Eu admito, eu admito que eu espalhei isso. Eu admito que eu me enganei, que eu me equivoquei e que eu acabei inventando isso na minha cabeça e acabei estragando muita coisa no jogo e nas relações”, respondeu a intérprete de “A Preta é Braba”.

Karol Conká se arrepende de atitudes dentro do ‘BBB21’

Logo no início do documentário, Karol Conká se diz arrependida de suas atitudes dentro do “BBB21” e lamenta a cobrança para dar esclarecimentos. A ex-sister optou por ficar ausente das redes sociais temporariamente.

“Entendi que estava errada e senti um arrependimento. As pessoas acham que pra gente se arrepender tem que aparecer definhando na frente das câmeras, chorando, implorando, aparecer toda feia, pra daí convencer o povo de que estou arrependida”, disparou.

Rapper recorda briga com Lucas Penteado em reality

Em outro momento, ela lembra da briga polêmica com Lucas Penteado. Na situação, Karol expulsou o ator de “Malhação” da cozinha para poder almoçar.

“Ver pessoas, profissionais, me atacando na TV, falando coisas absurdas, eu fico realmente com pena deles. Eles precisam apedrejar e se sente melhores assim. A sensação que eu tenho é que eu cometi um crime. Eu não fui a única pessoa que se estressou com um colega, mas a impressão é de que fui só eu”, declarou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *