Prefeito David Almeida designa Sérgio Fontes para supervisionar execução de plano vacinação em Manaus

A execução do Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19, em Manaus, passará a ser supervisionada pelo delegado aposentado da Polícia Federal, Sérgio Fontes, conforme o Decreto nº 5.031/2021, assinado pelo prefeito de Manaus, David Almeida, e publicado na edição nº 5.045, do Diário Oficial do Município (DOM), desta terça-feira, 2/3.  

“Essa é mais uma medida para aumentar a segurança e transparência no processo de vacinação da população na capital amazonense. Criamos uma comissão que tem acompanhado a execução do plano de imunização, além da apuração de denúncias do não cumprimento das regras de prioridades e das fases de vacinação, agora tem uma Autoridade Supervisora, que será essencial nesse processo também e temos a certeza que o doutor Sérgio Fontes executará esse trabalho com a excelência que lhe é peculiar”, destaca o prefeito.

Entre algumas das atribuições da Autoridade Supervisora, como o cargo foi denominado, estão o desenvolvimento de estratégias para viabilizar o maior número possível de pessoas imunizadas na cidade, a realização de parcerias, que auxiliem no processo de vacinação, entre outras atividades.

“A ação mais importante da Prefeitura de Manaus, neste momento, além de salvar vidas é a de vacinar o maior número possível de pessoas, e quanto a isso o prefeito David Almeida vem se mobilizando de todas as formas. A missão que recebo dele é a de ser um interlocutor da prefeitura, articulando ações que possibilitem a ampliação da vacinação na capital”, informa Sérgio Fontes.

E as articulações neste sentido, de acordo com Sérgio, já tiveram início, como a reunião realizada na segunda quinzena de fevereiro, em que ele participou ao lado do prefeito David Almeida, com o comandante do Comando Militar da Amazônia (CMA), general Estevam Cals Theophilo Gaspar de Oliveira, para tratar da parceria para reforçar o processo de vacinação, assim como um convênio que deverá ser feito com universidades locais, para a contratação de mão de obra de acadêmicos dos cursos da área de saúde, que irão auxiliar nos trabalhos realizados nos postos de imunização, agilizando o serviço.

“O processo de imunização não se resume apenas à aplicação da vacina. Tem a triagem, o registro do vacinado. Uma equipe de vacinação é formada por umas cinco pessoas, e iremos precisar de mão de obra, ao ampliar o processo de vacinação. Pelo convênio, esses acadêmicos deverão receber uma bolsa, com um valor que está sendo definido, e atuar por umas 20 horas semanais”, explica.

Ele também chama a atenção para o fato de que, o processo de vacinação não se trata apenas de ações técnicas, mas também de segurança e estratégia.      

“Ao contrário de outras campanhas de imunização já realizadas pelo município, essa contra a Covid-19 é diferente, porque envolve várias questões, como logística, ambiente adequado para conservar as doses na temperatura ideal, segurança da própria vacina, que hoje é um bem precioso”, observa.

Ainda segundo Fontes, apesar de não ser da área de Saúde, a experiência adquirida durante o tempo em que esteve à frente da Superintendência Regional da Polícia Federal do Estado do Amazonas e da Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM) irá ajudar nas atribuições que o cargo requer.

Texto – Síntia Maciel / Semcom  

Foto – Dhyeizo Lemos / Semcom

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *