Prefeitura resgata 94% de alunos infrequentes em 2021 por meio dos Cemasps

Atuando por meio de ações preventivas e intervenções específicas das áreas de psicologia, psicopedagogia, serviço social e fonoaudiologia, com o intuito de promover a permanência do aluno na escola, a Prefeitura de Manaus conseguiu resgatar e monitorar mais de 27 mil alunos infrequentes em 2021. Isso representa 94% dos encaminhamentos para resgate, coordenados pelos Centros Municipais de Atendimento Sociopsicopedagógico (Cemasps), da Secretaria Municipal de Educação (Semed). 

Mesmo com o ano de 2021 atípico para a educação municipal, com as aulas começando de forma remota e o ensino presencial sendo retomado gradativamente, o número de estudantes resgatados é expressivo. Os Cemasps conseguiram, ainda, atender a 92% das demandas sóciopsicopedagógicas, que significa que, além de buscar esses estudantes, eles ainda são atendidos pelos multiprofissionais, contribuindo para encontrar soluções que viabilizem o desenvolvimento das habilidades necessárias para melhorar a participação e  o desempenho dos alunos nas atividades curriculares, combatendo a evasão escolar.

Para realizar esse trabalho, os Centros criaram três tipos de ações, que focam nos três eixos: escola, família e estudante. Na primeira ação, de tele/resgate e visitas domiciliares, o objetivo principal de conscientizar e orientar os responsáveis acerca da importância do aluno em participar efetivamente das atividades escolares; na segunda ação, tele/assessoramento socioeducativo, tem como objetivo orientar, repassar informações e atender as demandas apresentadas pela equipe pedagógica das unidades de ensino, além de ações educativas aos alunos e pais da rede municipal de ensino; e a terceira ação, tele/atendimento sócio psicopedagógico, visa atender demandas indicadas pelas unidades de ensino nas áreas correspondentes.

De acordo com a responsável pelos Cemasps, Karla Loura Menezes, os resultados dos Centros falam por si e os números mostram uma equipe comprometida com a educação e que ama o que faz porque acredita nos benefícios desse trabalho para a sociedade.

“A despeito de todos os desafios de um ano de pandemia, tendo que se reinventar e encontrar formas de continuar o trabalho de maneira remota, e recomeçar a partir de agosto no presencial, nossa média de atendimento foi de 115 escolas por mês. Atendemos e orientamos 1.606 pais. Resgatamos 27.260 estudantes dos 29.119 encaminhados ao Cemasp com risco de evasão escolar. Ou seja, 94% dos alunos voltaram à sala de aula para poder usufruir de seu direito à Educação e toda a oportunidade de desenvolvimento e construção de um futuro que a Educação pode dar”, explicou Karla.

Ela acrescentou que um dos fatores de sucesso desse trabalho é ver além dos números. “Por trás desses números apresentados, nós vemos o ser humano que realizou o trabalho com muita responsabilidade, profissionalismo e amor pela educação e pelos professores, pais e alunos, objetivo do trabalho”, concluiu.

Relação com as escolas

Esse resultado positivo acontece, também, porque a relação entre os Centros e as unidades de ensino é muito próxima. O Cemasp Centro-Sul, por exemplo, conseguiu um resultado de resgate de 3.473 estudantes, o que significa mais de 94% da demanda. De acordo com a assessora Helena da Silva Costa, esses números são possíveis porque tanto as escolas quanto a comunidade escolar reconhecem a importância desse trabalho.

“A receptividade dessas escolas é muito boa. Temos uma relação muito estreita com os gestores e pedagogos e acreditamos que essa relação tem contribuído muito, principalmente com nossos alunos e as famílias que precisam de um olhar mais específico. A comunidade escolar já nos conhece e tem o entendimento que, caso a criança não esteja frequentando a escola, somos acionados para conversar com essas famílias”, explicou Helena.

Outro ponto importante a destacar na zona Centro-Sul é que, em 24 das 51 unidades atendidas pelo Centro, em 2021, tiveram 100% dos estudantes resgatados.

Cemasp

Na rede municipal de educação, existem sete Cemasps, cada um é responsável por uma Divisão Distrital Zonal (DDZ). Durante a pandemia, foram criados os serviços de atendimento remoto, que serão mantidos, mesmo com o retorno do trabalho presencial.

As estratégias utilizadas para cumprir o objetivo, além do atendimento remoto, são locomoção até as escolas e as casas das famílias. Para que esse trabalho de locomoção possa ser efetivo, a prefeitura direcionou carros exclusivos para cada centro realizar esse trabalho.


Texto – Alexandre Abreu/Semed

Fotos – Eliton Santos/Semed e Divulgação (Anexo)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *