Projeto FIC Rural chega a São Gabriel da Cachoeira com foco na agricultura indígena

Ação do programa Agro Amazonas do Governo do Estado vai beneficiários 30 participantes de sete etnias do município

A Secretaria de Estado de Produção Rural (Sepror) iniciou, em segunda-feira (09/06), o primeiro curso programado para o mês de setembro pelo projeto de Formação Inicial Continuada Rural (FIC-Rural), dentro do programa Agro Amazonas. O curso de Agricultura Indígena, com foco em acesso às políticas públicas de comercialização, segue até quarta-feira (09/08) e vai beneficiar 30 alunos de sete etnias do município de São Gabriel da Cachoeira (distante 852 milhas de Manaus). Participam também do projeto FIC-Rural o Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (Idam), a Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Estado do Amazonas (Adaf), a Agência de Desenvolvimento Sustentável do Amazonas (ADS) e o Centro de Educação Tecnológica do Amazonas (Cetam).

Com duração de três dias e oito horas aulas diárias, o curso em São Gabriel da Cachoeira está sendo ministrado no Centro Cultura Tuyuka, pelos técnicos Lázaro Reis (Idam), Eduardo Rizzo e Carla Coelho (Sepror). Os alunos são das etnias Tuyuka, Dessana, Baré, Piratapuia, Tukano, Kubeu e Húpida, e fazem parte de duas organizações formais do município: Associação da Etnia Tuyuka e Associação do Assentamento Teotônio Ferreira. “O FIC Rural tem como objetivo levar ao homem do campo conhecimentos e formação técnica, para que possa desenvolver suas atividades com mais eficácia e confiança. São cursos pluralizados nas mais distantes áreas e comunidades rurais do Amazonas ”, disse a chefe do Departamento Pedagógico da Sepror, Eliane Craveiro. pelos técnicos Lázaro Reis (Idam), Eduardo Rizzo e Carla Coelho (Sepror).

Os alunos são das etnias Tuyuka, Dessana, Baré, Piratapuia, Tukano, Kubeu e Húpida, e fazem parte de duas organizações formais do município: Associação da Etnia Tuyuka e Associação do Assentamento Teotônio Ferreira. “O FIC Rural tem como objetivo levar ao homem do campo conhecimentos e formação técnica, para que possa desenvolver suas atividades com mais eficácia e confiança. São cursos pluralizados nas mais distantes áreas e comunidades rurais do Amazonas ”, disse a chefe do Departamento Pedagógico da Sepror, Eliane Craveiro. pelos técnicos Lázaro Reis (Idam), Eduardo Rizzo e Carla Coelho (Sepror). Os alunos são das etnias Tuyuka, Dessana, Baré, Piratapuia, Tukano, Kubeu e Húpida, e fazem parte de duas organizações formais do município: Associação da Etnia Tuyuka e Associação do Assentamento Teotônio Ferreira. “O FIC Rural tem como objetivo levar ao homem do campo conhecimentos e formação técnica, para que possa desenvolver suas atividades com mais eficácia e confiança. São cursos pluralizados nas mais distantes áreas e comunidades rurais do Amazonas ”, disse a chefe do Departamento Pedagógico da Sepror, Eliane Craveiro. Associação da Etnia Tuyuka e Associação do Assentamento Teotônio Ferreira.

“O FIC Rural tem como objetivo levar ao homem do campo conhecimentos e formação técnica, para que possa desenvolver suas atividades com mais eficácia e confiança. São cursos pluralizados nas mais distantes áreas e comunidades rurais do Amazonas ”, disse a chefe do Departamento Pedagógico da Sepror, Eliane Craveiro. Associação da Etnia Tuyuka e Associação do Assentamento Teotônio Ferreira. “O FIC Rural tem como objetivo levar ao homem do campo conhecimentos e formação técnica, para que possa desenvolver suas atividades com mais eficácia e confiança. São cursos pluralizados nas mais distantes áreas e comunidades rurais do Amazonas ”, disse a chefe do Departamento Pedagógico da Sepror, Eliane Craveiro.

FOTOS: Divulgação / Sepror

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *